Cutelaria

Uma breve história do canivete suíço

Você sabe como surgiu e qual é a história do canivete suíço? Não? Então, eu também não sabia. E foi justamente por isso que resolvi criar este artigo, contando uma breve história do canivete suíço .

Canivete suíço: Tudo pelo patriotismo

canivete-suiço-KarlKarl Elsener (foto da esquerda) era dono de uma empresa de equipamentos cirúrgicos na Suíça, com a qual fez sua fortuna. Porém, em 1883 descobriu que todos os canivetes utilizados pelo exército de seu país, eram fabricados por uma empresa alemã.

Foi quando decidiu vender tudo que tinha e fundar (junto com outros sócios) a Associação de Cuteleiros Suíços, a qual tinha como objetivo criar e fornecer canivetes para o exército suíço, com o intuito de tirar o exército da dependência alemã.

Sete anos depois, em 1891, a Associação lançou seu primeiro de lote canivetes. Porém, as empresas alemãs ainda conseguiam produzir um equipamento de maior qualidade a um preço mais baixo. Logo, o governo suíço não comprou os canivetes da Associação.

Esse ato baixou a moral dos sócios e fez com que praticamente todos os sócios deixassem o negócio, bem como a maior parte dos cuteleiros. E assim se acabará toda a fortuna de Karl.

Porém, ele não desistiu e continuou produzindo canivetes sozinho, e focou suas energias nos canivetes multi-funções. Como o Canivete do Estudante e o Canivete do Fazendeiro, por exemplo.

Persistência

Com muita insistência e dois anos de trabalho duro, Karl conseguiu ganhar algum espaço no mercado de canivetes multi-funções. E foi quando surgiu uma segunda empresa de cutelaria na Suíça, a Paulo Boechat & Cia, que vendia um produto similar.canivete-suiço-Wegner

Três anos mais se passaram, até que a Paulo Boechat foi comprada por seu gerente geral, o senhor Theodore Wegner (foto da direita), o qual rebatizou a empresa para Wegner.

Em 1897, depois de seis anos de trabalho, Karl registrou o projeto “Canivete para Oficiais”, que fez o sucesso da empresa e permitiu a Karl dobrar sua antiga fortuna.

Canivete dos oficiais

O Canivete para Oficiais possuía seis funções:

  1. Lâmina;
  2. Punção;
  3. Abridor de Latas;
  4. Chave de Fenda;
  5. Lâmina pequena;
  6. Saca rolhas.

Ainda assim, o exército suíço não adotou este canivete como armamento oficial. Porém, praticamente todos os militares da época possuíam um deste, comprando em lojas de cutelaria.

Com isso, Karl expandiu as vendas e popularizou seu canivete, vendendo inclusive para o exterior. Tudo isso custeava as inovações feita pela empresa, com o intuito de combater a concorrência que surgia no mercado, imitando seu produto. Dentre esta concorrência estava a Wegner.

Dois fabricantes nacionais

Finalmente, em 1908, o governo suíço resolveu aderir aos canivetes nacionais e passou a comprar metade dos canivetes de Karl e a outra metade de Wegner.

Os dois empresários fizeram um acordo, o qual permitia que Wegner utilizasse o slogan “O genuíno Canivete Suíço” enquanto Karl utilizava “Canivete Suíço Original”. Assim, em 1909, o governo suíço autorizou o uso da cruz suíça nos canivetes.

Quando a mãe de Karl morreu, ele resolveu rebatizar a empresa para Victoria. Nove anos depois, já em 1918, Karl veio a falecer e a empresa ficou sob os cuidados de seus filhos.

Em 1921, a ciência descobriu o aço inox, que facilitava e muito a vida das cutelarias, e foi quando a antiga empresa de Karl, chamada de Victoria, passou a se chamar Victorinox.

Victorinox Soberana

Em 2005, a Victorinox conseguiu comprar a rival Wegner e se tornar a única fornecedora de canivetes para o exército suíço, bem como registrar a marca “Canivete Suíço”, como exclusividade sua. Atualmente a empresa possui mais de 100 variações do canivete suíço, o qual é utilizado por vários exércitos ao redor do mundo, incluindo o dos Estados Unidos.

canivete suíço

E aí, gostou da história? Já sabia disso? Tem algo a adicionar? Então deixe seus comentários nos campos abaixo e, claro, não se esqueça de compartilhar este artigo com os seus amigos no Facebook.

You Might Also Like